Resenha: A Marcha

Resenha da HQ
Título: A Marcha
Autores:  John Lewis,‎ Andrew Aydin e Nate Powell
Editora: Nemo
Número de páginas: 128
Skoob: Adicione
Comprar: E-book Físico 
Sinopse:
O parlamentar John Lewis é um ícone nos Estados Unidos e uma das principais figuras do movimento pelos direitos civis. Seu comprometimento com a justiça e a não violência o levou de uma pequena fazenda no Alabama para os corredores do Congresso norte-americano; de uma sala de aula segregada para a Marcha em Washington; dos ataques da polícia ao recebimento da Medalha Presidencial da Liberdade pelas mãos do primeiro presidente negro dos Estados Unidos.
A Marcha retrata a longa batalha de Lewis pelos direitos humanos e civis, seu encontro com Martin Luther King Jr. e a luta para dar fim às políticas de segregação no país.
www.dreamsandbooks.com
Ultimamente ando apaixonada por HQs e A Marcha foi uma que me apaixonei muito antes de realizar sua leitura. Desde que li sua sinopse fiquei ansiosa para lê-la.
Essa história em quadrinhos é o primeiro volume de uma trilogia que narra a vida e luta de John Lewis. A Marcha traz uma história real narrada e ilustrada de forma encantadora e emocionante que traz ensinamentos e reflexões para o leitor.
Com um enredo cativante e envolvente prende o leitor desde o começo e faz com que ele sinta necessidade de aprender mais e mais. Acredito que essa é uma ótima opção de leitura para os mais jovens, pois ensina de uma forma tocante mas que não choca.
www.dreamsandbooks.com
As ilustrações em preto e branco trazem um sentimento que não sei ao certo nomear, marcam, ficam na memória.
A Marcha não é uma leitura apenas para distrair ou fazer passar o tempo. Ela ensina, emociona e traz empatia. Impossível terminar essa leitura sendo a mesma pessoa que a começou.
Sem dúvida, estou ansiosa pelos próximos volumes e é um prazer divulgar essa história. Peço que dê uma chance a ela! Realizar essa leitura vai ser uma experiência incrível. 
www.dreamsandbooks.com
“Eu tenho um sonho.
O sonho de ver meus filhos julgados por sua personalidade, não pela cor de sua pele.”