Eu quero respeito mas também quero flores!

"Eu quero respeito, mas também quero flores!" 08 de março, Dia Internacional da Mulher

Nós últimos dias das mulheres vem sendo sempre ouvido um discurso de “não quero flores, quero respeito e reflexão.” Não podemos negar que esse discurso vem em sua maioria, de mulheres brancas. E é necessário fazer um recorte de raça aqui. Mulheres brancas sempre foram vistas como mulheres, sempre foram vistas como frágeis e indefesas. Mas e as mulheres negras? 
 
Enquanto mulheres brancas estavam lutando para conseguir seus direitos, as negras estavam lutando para ser reconhecidas como mulheres. Um exemplo claro dessa afirmação, é o discurso “E não sou uma mulher?” da Sojourner Truth. 

“Aqueles homens ali dizem que as mulheres precisam de ajuda para subir em carruagens, e devem ser carregadas para atravessar valas, e que merecem o melhor lugar onde quer que estejam. Ninguém jamais me ajudou a subir em carruagens, ou a saltar sobre poças de lama, e nunca me ofereceram melhor lugar algum! E não sou uma mulher? Olhem para mim? Olhem para meus braços! Eu arei e plantei, e juntei a colheita nos celeiros, e homem algum poderia estar à minha frente. E não sou uma mulher? Eu poderia trabalhar tanto e comer tanto quanto qualquer homem – desde que eu tivesse oportunidade para isso – e suportar o açoite também! E não sou uma mulher? Eu pari treze filhos e vi a maioria deles ser vendida para a escravidão, e quando eu clamei com a minha dor de mãe, ninguém a não ser Jesus me ouviu! E não sou uma mulher?” 

"Eu quero respeito, mas também quero flores!" 08 de março, Dia Internacional da Mulher

Frágil não é uma palavra associada a nós mulheres negras. Muito pelo contrário, mulheres negras desde sempre ouvem que são fortes, guerreiras. E essa afirmação exige que sejamos, não abre espaço para outra opção. 

Nós lutamos por que temos que lutar, não porque queremos. A luta da mulher negra é naturalizada e “elogiada”, elogio esse em forma de imposição que acaba garantindo que nada mude. Por sermos vistas como fortes, não há espaço para sermos vistas apenas como mulheres ou seres humanos. 

Mulheres brancas dizem que não querem mais receber flores, porém esse clichê sempre foi negado as mulheres negras. Assim como tantos outros. Esse pedido de não receber flores é muito cruel com mulheres negras, é solicitar que abramos mão de algo que nunca tivemos. 

Assim, antes de determinar que não é importante que mulheres recebam flores, pense nas mulheres não brancas, principalmente as negras. Sim, nós queremos respeito e queremos reflexão. Mas também queremos flores.