12 livros de autores negros pra ler no Scribd

12 livros de autores negros pra ler no Scribd

Por Lorrane Fortunato

27 de junho de 2020

O Scribd também é um serviço de assinatura que te dá acesso a todos os livros do catálogo pagando uma mensalidade de $8.99. Um diferencial do Scribd, é que nele você também tem acesso a audiobooks, e tanto os e-books quanto os audiobooks estão disponíveis em diversos idiomas. Você pode testar o serviço por 60 dias grátis, como também falamos no nosso post de como ler livros de graça. Ainda, você pode ler os livros do Scribd no computador, celular ou tablet.

A maioria dos livros no Scribd são em inglês, mas ele também disponibiliza vários títulos em português pra leitura. Por isso, listamos alguns livros de autores negros pra ler no Scribd. Confira nossas recomendações:

“As alegrias da maternidade” de Buchi Emecheta

Entre a lavoura e a cidade, entre as tradições dos igbos e a influência dos colonizadores, Nnu Ego luta pela integridade da família e pela manutenção dos valores de seu povo.

“Cidadã de segunda classe” e “No fundo do poço”, os outros dois livros da autora, também estão disponíveis no catálogo do Scribd.

“Escritos de uma vida” de Sueli Carneiro

A mulher negra é a síntese de duas opressões, a de gênero e a da raça. Se a questão da mulher avança, o racismo vem e barra as negras. Se o racismo é burlado, geralmente quem se beneficia é o homem negro. Ser mulher negra é experimentar essa condição de asfixia social.

“Eu sei por que o pássaro canta na gaiola” de Maya Angelou

Maya Angelou escreve para se libertar das grades que foram colocadas em sua vida. Esta obra necessária amplifica a voz dos jovens que um dia foram fadados a uma vida dura e cheia de preconceitos.

“Memórias da plantação” de Grada Kilomba

Essa é uma compilação de episódios cotidianos de racismo, escritos sob a forma de pequenas histórias psicanalíticas. Das políticas de espaço e exclusão às políticas do corpo e do cabelo, passando pelos insultos raciais, a autora desmonta, de modo incisivo, a normalidade do racismo, expondo a violência e o trauma de se ser colocada/o como outra/o.

“Minha irmã, a serial killer” de Oyinkan Braithwaite

Em “Minha irmã, a serial killer”, a autora conta uma história cheia de suspense e mistério, com humor peculiar e ácido, sem deixar de lado a complexidade da mente de uma sociopata.

Quer saber mais sobre esse livro? Confira a nossa resenha de Minha irmã, a serial killer.

“O genocídio do negro brasileiro” de Abdias Nascimento

Em “O Genocídio do negro brasileiro”, o autor desconstrói a ideia de democracia racial com testemunhos pessoais, reflexões, comentários e críticas. Ainda opõe o discurso sobre a condição social e cultural do negro brasileiro à realidade.

“Olhos d’água” de Conceição Evaristo

Em “Olhos d’água”, Conceição Evaristo ajusta o foco de seu interesse na população afro-brasileira abordando, sem meias palavras, a pobreza e a violência urbana que a acometem. Sem sentimentalismos e sem quaisquer idealizações, são aqui recriadas com firmeza e talento as duras condições enfrentadas pela comunidade afro-brasileira.

“O que acontece quando um homem cai do céu” de Lesley Nneka Arimah

As histórias dessa coletânea de doze contos, são histórias contadas majoritariamente de uma perspectiva feminina, e trazem questões como maternidade e relação mãe/filha, sacrifício, feminilidade, amadurecimento e violência.

“Racismo Estrutural” de Silvio Almeida

Nos anos 1970 o conceito de racismo estrutural foi apresentado pela primeira vez. É a partir desse conceito que o autor apresenta dados estatísticos e discute como o racismo está na estrutura social, política e econômica da sociedade brasileira.

Todos os outros livros da coleção “Feminismos Plurais” também estão disponíveis no catálogo do Scribd.

“Sobre-viventes” de Cidinha da Silva

Este é um livro de crônicas sobre pessoas que muitas vezes são tornadas invisíveis ao olhar de uma sociedade racista e preconceituosa. Situações cotidianas são colocadas em nossa cara como retrato feio de nós mesmos. Os sobreviventes combatem as dificuldades todos os dias. Precisamos falar destes viventes.

“Teoria feminista” de bell hooks

A autora faz críticas aos problemas ainda atuais do feminismo, que costuma ser branco, de classe média, acadêmico, heteronormativo e desigual. Em contrapartida, propõe a revolução feminista idealizada por mulheres negras. A revolução feminista negra é uma luta pela libertação de todos.

“Tornar-se negro” de Neusa Santos Souza

Essa é uma obra de referência no estudo da questão racial no Brasil. Com um texto direto, objetivo e cheio de depoimentos, a autora apresenta seu estudo teórico e vivencial sobre o emocional das pessoas negras.

Notícias afroliterárias

Leia mais